Loading

Valter Bitencourt Júnior

valterbjunior57@gmail.com

Caverna sombria

Inusitado os seus olhos

Sujos; coerentes; imundos

Irônico os seus sorrisos

Fingidos; disfarçados; bem desenhados

Deslumbrantes os seus olhos,

Atravessam os meus

Quando procuro o interior do seu ser

Dentre o romper das cachoeiras,

Me sufocarei nos seus braços,

No cantar dos sábias,

Procurei inspiração

Para desenhá-la, para traçá-la,

Descrevê-la

No branco das nuvens

Na brisa que procura

Serei a sua luz

Que a guiará até o fim

De uma caverna

Sombria.


Valter Bitencourt Júnior